• Mattoso

Relação proteína/creatinina urinária


💭Quando devo realizar a relação proteína:creatinina urinária (RPCU)❓


❗Quando existe uma suspeita de proteinúria de origem glomerular, ou seja, lesão glomerular.




📍Classicamente, a partir de duas cruzes de proteína (>100 mg/dl) já se pode considerar a possibilidade de proteinúria glomerular. Porém, para se certificar dessa origem, é interessante realizar a relação proteína:creatinina urinária (RPCU).


📍A albumina, principal proteína plasmática, possui um peso molecular alto e, com isso, não ultrapassa os capilares glomerulares íntegros. A creatinina, por outro lado, é 100% filtrada e não sofre reabsorção tubular.

Fisiologicamente, é esperado que a creatinina esteja elevada na urina e a proteína ausente, gerando uma relação proteína:creatinina urinária baixa.


📍Porém, nem sempre a proteinúria é consequência de uma alteração renal. Causas pré e pós renais podem gerar proteinúria.

Normalmente causas pós-renais são comumente encontradas em medicina veterinária, por isso processos inflamatórios (cistite, uretrite, vaginite) e hemorrágicos (cálculo vesical, obstrução uretral, etc) devem ser descartados antes da realização do exame.


📍A RCPU não detecta níveis baixos de albuminúria, que podem aparecer em doença renal precoce. Nesses casos, deve-se utilizar outras técnicas como a determinação de microalbuminúria que possui maior sensibilidade.


✍️A relação proteína/creatinina urinária é interpretada da seguinte forma:

🐶Cães: < 0,2: não proteinúrico

0,2 - 0,4: suspeito

>0,5: proteinúrico


🐱Gatos: < 0,2: não proteinúrico

0,2 - 0,4: suspeito

>0,4: proteinúrico


🚨Em casos de proteinúria glomerular, a albumina sérica deve ser mensurada pois existe a possibilidade de grande perda renal dessa proteína, resultando em hipoalbuminemia.


#laboratoriomattoso #patologiaclínica #urinálise #proteinúria #creatinina #RPCU

61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo